fbpx
Ceratocone

Ceratocone

 

O que é?

Ceratocone (Cerato = córnea + Cone = forma cônica) é uma doença degenerativa caracterizada por um afinamento progressivo e aumento da curvatura da córnea. À medida que a córnea vai se tornando afinada, o paciente percebe uma baixa acuidade visual que pode ser moderada ou severa, dependendo da quantidade do tecido corneano afetado.

O ceratocone inicia-se geralmente na adolescência, em média por volta dos 16 anos de idade e pode evoluir rapidamente ou, em outros casos, levar anos para se desenvolver.

Esta patologia ocular pode afetar severamente nossa forma de perceber o mundo, incluindo tarefas simples como dirigir, assistir TV ou ler um livro.

O exame oftalmológico deve ser realizado anualmente ou mesmo mais frequentemente para monitorar a progressão da doença.

Principais Sintomas

  • Muitas pessoas não percebem que tem ceratocone, pois no início, ocorre apenas o aparecimento de miopia e/ou astigmatismo
  • Visão embaçada
  • Hipersensibilidade à luz
  • Enxergar imagens “fantasma”
  • Visão dupla
  • Dor de cabeça
  • Coceira no olho
  • Visão borrada e distorcida tanto pra longe quanto pra perto.

Como se faz o diagnóstico da doença?

A identificação do Ceratocone moderado ou avançado é razoavelmente fácil.

Geralmente, pacientes com Ceratocone têm modificações nas prescrições dos seus óculos em curtos períodos de tempo e os óculos já não fornecem uma correção visual satisfatória.

A topografia corneana computadorizada pode fornecer um exame mais acurado da córnea e mostrar irregularidades precocemente.

O exame da biomicroscopia (na lâmpada de fenda) também pode detectar sinais da doença.

Tratamento

Casos comuns: uso confortável de lentes de contato rígidas e/ou obtenção de boa visão com óculos.

Casos moderados: normalmente, a opção é o tratamento cirúrgico, com implante do anel corneano. Esse dispositivo tem o objetivo de aplanar a córnea e reduzir seu astigmatismo, tornando mais confortável o uso de lentes de contato e melhorando a visão com óculos.

Trata-se de uma cirurgia reajustável e reversível, sendo menos traumática que o transplante de córnea.

Nos casos leves e moderados, que estejam em progressão, detectada pela topografia seriada, o emprego do Crosslinking deve ser considerado como adjuvante no tratamento.

Casos avançados: Nesse estágio, a córnea torna-se excessivamente cônica ou apresenta redução de sua transparência. Assim, o transplante de córnea passa a ser a única opção de tratamento.

Fechar Menu

E-mail Cadastrado com Sucesso!