Em atendimento do HO Redentora no shopping, 18% das crianças apresentaram possível problema de visão

Em atendimento do HO Redentora no shopping, 18% das crianças apresentaram possível problema de visão

Evento das Crianças 2016 (2)

O balanço do evento de prevenção a doenças oculares na infância, realizado pelo Hospital de Olhos Redentora no final de semana, demonstra o quanto é importante levar a criança ao oftalmologista periodicamente. Das 232 crianças atendidas pela equipe do HO Redentora no Riopreto Shopping, 41 foram orientadas a fazer uma consulta com o oftalmologista, ou seja, 18% do total de atendimentos.

Em comemoração ao Dia das Crianças, no último sábado, oftalmologistas do HO Redentora realizaram teste de acuidade visual e conversaram com pais e responsáveis. “Ficamos satisfeitos com o resultado desta ação que visa, exclusivamente, chamar a atenção para a importância da criança ser consultada por oftalmologista periodicamente, e desde os primeiros anos de vida”, disse a oftalmologista Aline Goulart, do Hospital de Olhos Redentora, de Rio Preto.

Enquanto os médicos atendido pais e filhos, animadores vestidos de palhaços brincaram e entreteram as crianças. “Neste Dia das Crianças, nossa mensagem é que não há melhor presente a dar ao filho, ao neto do que garantir a integridade da visão”, afirmou o oftalmologista Ronald Broner, também da equipe do HO Redentora.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 10% das crianças em idade escolar apresentam algum tipo de deficiência visual. Quanto mais cedo a criança for avaliada por um oftalmologista, melhor. “É importante as pessoas saberem que, aos sete anos de idade, o desenvolvimento visual está próximo de sua conclusão, o que dificulta cada vez mais o tratamento de problemas de visão, podendo levar à ambliopia”, destaca Dra. Aline.
Se não tratada em tempo hábil, a ambliopia é irreversível e, para a que visão se desenvolva normalmente, não pode haver obstáculo à formação de imagem nítida, o estrabismo ou a anisometropia (diferença entre os erros refrativos dos olhos maior do que três graus).
“Os pais ou responsáveis precisam se certificar que a visão da criança está se desenvolvendo satisfatoriamente, e isso só é assegurado pelo oftalmologista”, ressalta o oftalmologista Dr. Broner. A criança pode já nascer com alguma doença (chamada congênita) que causa cegueira quando não tratada, como toxoplasmose, catarata e glaucoma, ou adquirir erros de refração, como a hipermetropia, miopia e astigmatismo.

A prevenção deste e de todos os problemas oftalmológicos deve começar ainda no pré-natal, a fim de evitar infecções congênitas. A criança apresenta três fases críticas no desenvolvimento visual e cada uma deve ser analisada respeitando sua particularidade.

“Os três primeiros meses de vida são muito importantes para o desenvolvimento da visão. Já entre os dois e três anos, ela consolida sua visão com a de um adulto, desde que nada de mal aconteça. Dos sete aos nove anos, podemos ainda tratar a ambliopia ou o olho preguiçoso, como muitos chama”, explicam os oftalmologistas do HO Redentora.
Para diagnosticar precocemente doenças como a catarata congênita e o glaucoma congênito, basta fazer no recém-nascido um exame simples, o teste do reflexo vermelho.

IMG-20161007-WA0020


 IMG-20161007-WA0018
IMG-20161007-WA0017

 

Deixe uma resposta