População envelhece e, com ela, aumenta a incidência de catarata
Idosa com catarata

População envelhece e, com ela, aumenta a incidência de catarata

A população brasileira está “envelhecendo”, como mostra os últimos dados do IBGE. A parcela de idosos passou de 9,8% para 14,3% do total da população, entre 2005 e 2015. E como este aumento, cresce a preocupação com as doenças características do envelhecimento, entre elas, a catarata.

A catarata responde por quase a metade dos casos de cegueira no Brasil, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). “As pessoas, sobretudo os idosos, devem estar atentas aos sintomas da catarata, uma doença progressiva, como, por exemplo, a visão embaçada. Esta situação vai se agravando até que não se enxerga quase nada”, alerta Dr. Luciano Fochi Garcia, oftalmologista do Hospital de Olhos Redentora, de Rio Preto.

Sintomas da catarata

– baixa gradual e progressiva da visão;

– objetos parecem estar amarelados, embaçados ou distorcidos;

– dificuldade para andar à noite ou em ambientes mal iluminados;

– sensação de ofuscamento da visão diante de muita claridade;

– estresse.

O tratamento da catarata é cirúrgico, sendo que, no Brasil, são realizados cerca de 600 mil procedimentos por ano. “Durante a cirurgia, removemos a catarata e implantamos lentes intraoculares (LIOs) que devolvem ao paciente a visão”, explica Dr. Leonardo Pereira. A técnica mais utilizada para o tratamento da catarata é a facoemulsificação.

Nesta cirurgia, o oftalmologista faz uma incisão na córnea de cerca de 3 mm para fragmentar e aspirar o cristalino doente que impede o paciente de enxergar. Retirado o cristalino, é implantada nova lente intraocular, que lhe permitirá enxergar com mais nitidez.

Deixe uma resposta